Jovens discutem alternativas de não poluição

Alunos identificam alternativas para diminuir a produção de lixo

A poluição do ar, rios e igarapés contribuem para as mudanças climáticas e acabam por interferir na vida de populações urbanas e rurais. Em Curuçá, no nordeste do Pará, jovens do curso de Agentes Ambientais, do Programa Casa da Virada, do Instituto Peabiru, descobrem como evitar o desequilíbrio natural com ações não poluentes. “Como futuros agentes ambientais, a função é tomar e multiplicar atitudes que visem à diminuição desta problemática,” relata Jacira Silva, professora de Ciências Naturais.

A programação contou com vídeos e caminhadas externas, para identificar nas ruas o que é poluente e o que não é. Segundo a professora, o objetivo do conteúdo da aula é aumentar a percepção e sensibilidade sobre os transtornos causados pela falta de educação e de consciência ambiental. Durante as dinâmicas, muitos fizeram questão de relatar experiências. Os alunos também ficaram impressionados com a questão do lixo na cidade, ao assistirem a reportagem exibida pelo SBT Pará, de 28 de agosto de 2011, sobre o lixão localizado em Curuçá.

O Programa Casa da Virada prevê ainda aulas sobre estudos de impactos ambientais, alternativas de desenvolvimento sustentável, energia, saneamento básico, pesquisa científica e biotecnologia. No total, são 200 horas-aula até dezembro, entre atividades de sala e campo. Esta fase do projeto, que tem patrocínio do Programa Petrobras Ambiental, da Petrobras, pretende formar 200 jovens.

, ,

Comentários encerrados.