Unidades de Conservação

Parque Mata Amazônica Atlântica

Vídeo destaca importância da Mata Amazônica Atlântica para conservação de florestas de terra firme.

Publicação descreve uma das últimas floresta de terra firme do litoral paraense.

Reserva da Biosfera Marajó

Viva Marajó

A atuação do Instituto Peabiru no Marajó, através do Programa Viva Marajó visa facilitar o processo de fortalecimento das organizações da sociedade civil dos 16 municípios da Mesorregião do Marajó. Os baixíssimos indicadores socioeconômicos demonstram o desrespeito aos direitos básicos dos 500 mil marajoaras, e a necessidade de urgente efetivação de políticas públicas.

Criado em 2009, a partir de convite do Fundo Vale para apoiar a Secretaria de Estado de Meio Ambiente – SEMA-PA, na candidatura do Marajó como Reserva da Biosfera, pelo Programa Homem e Biosfera, da UNESCO, ampliou seu foco de ação para o ordenamento fundiário e o reconhecimento de direitos cidadãos de quilombolas, ribeirinhos. Afinal, a agenda socioambiental do Colegiado Territorial do Marajó antecede estas questões; afinal, não se pode tratar de conservação sem a garantia de direitos básicos de populações tradicionais.

Sítio RAMSAR Marajó

“O Marajó também precisa receber outros títulos internacionais, como importante área úmida do planeta – a convenção RAMSAR. A criação de unidades de conservação é vital, tanto para proteger o patrimônio imaterial, o patrimônio arqueológico e a biodiversidade.” Veja aqui matéria completa.

Sistemas Municipais de Unidades de Conservação

Pólo Industrial de Barcarena

“Barcarena e sua vizinha, Abaetetuba, na Região Metropolitana de Belém, vivem um grande desafio: de um lado, a euforia do novo ciclo econômico, de exportação de soja, gado bovino vivo e a expansão do polo industrial; e, de outro, o caos fundiário resultado dá má formação do polo e da incapacidade do poder público em resolvê-lo, acrescidos dos desafios ambientais desde sua implementação no final dos anos 1980.” Veja aqui metéria completa.

 

%d blogueiros gostam disto: