Estudantes fazem roteiro de ecoturismo e visitam mangues

Roteiro de ecoturismo leva visitantes para conhecer as belezas dos manguezais. Foto: Rafael Araújo

Alunos do curso de turismo da Faculdade Pan Amazônica (Fapan) visitaram Curuçá, no nordeste Paraense, para conhecer a experiência do Instituto Peabiru em Ecoturismo de Base Comunitária (EBC) no local. Desde 2007, a ONG desenvolve capacitação para monitores de roteiros de ecoturismo no município como parte do Programa Casa da Virada. A turma de 20 alunos e três professores passou o último domingo, 11, em contato com o modo de vida de pescadores, caranguejeiros, barqueiros e lideranças comunitárias da cidade, que está localizada no entorno da Reserva Extrativista Mãe Grande Curuçá.

Os estudantes acompanharam um catador de caranguejo no mangue, almoçaram o avoado com pescadores e visitaram a Praia da Romana, primeira praia em mar aberto depois da foz do Amazonas. É a área de maior calado estável da Região Norte, e por isso é prospectada para a construção de megaportos – Super Porto do Espadarte. São 14 quilômetros de areia branca e manguezais.

Visitantes acompanharam o trabalho de um catador de caranguejo

Na ocasião, os visitantes participaram de uma aula em campo de EBC, com destaque para as experiências do Instituto Peabiru, que além de Curuçá, desenvolve ações ainda em Almeirim e Monte Alegre, na Calha Norte, e na Ilha de Cotijuba, em Belém. A apresentação mostrou que esta forma de turismo possibilita o desenvolvimento de capacidades humanas, a promoção da consciência ambiental e a valorização do patrimônio cultural e ambiental.

De acordo com a engenheira florestal Paula Vanessa Silva, assistente do Programa Casa da Virada, o roteiro apresentado para os estudantes apenas demonstrou uma atividade turística realizada com o envolvimento dos comunitários, porém o Instituto Peabiru está iniciando um projeto piloto na comunidade de Candeua, onde todas as ações de ecoturismo serão de base comunitária. “Todos os atores do processo serão de uma mesma comunidade. Eles constroem o roteiro, colocam o preço e recebem os visitantes”, explica a engenheira.

O Instituto Peabiru apresentou experiências de Ecoturismo de Base Comunitária

A comunidade de Candeua está localizada na área da Resex e já recebeu representantes do Instituto Peabiru e da Secretaria Municipal de Turismo de Curuçá (Semtur), parceira na iniciativa, para começar as ações. A primeira capacitação vai ocorrer no próximo dia 22 de novembro. O ecoturismo é uma das poucas cadeias de valor permitidas em unidades de proteção integral, como parques nacionais ou estaduais.

, , , , ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: