Pesquisa avalia saneamento ambiental em comunidades da área de expansão do dendê

Dendê por Rafael Araujo
Áreas rurais têm pouco acesso à políticas públicas de saneamento ambiental (Foto: Rafael Araújo)

Propostas de técnicas alternativas de minimização da poluição e contaminação do abastecimento de água foram um dos objetivos da pesquisa da engenheira sanitarista ambiental Andrielle Leal da Silva, realizada em seis comunidades rurais do município de Moju, no nordeste do Pará, área de expansão da produção de dendê.

O trabalho estudou o saneamento ambiental nas comunidades Arauaí, Apeí, Água Branca, São Vicente e Curuperé, área de atuação do Programa Dendê, do Instituto Peabiru, da qual a pesquisadora faz parte da equipe técnica desde janeiro de 2012. Foram levantadas também as formas de captação de água para abastecimento e tratamento; esgotamento sanitário; disposição final dos resíduos sólidos; e saúde pública.

Dentre as considerações, o trabalho demonstrou que apesar do aumento da renda de muito agricultores produtores de dendê, não houve grandes melhorias nas condições sanitárias das moradias. “Identificamos a falta de conhecimento de práticas de higiene sanitária  por parte das famílias e ausência de políticas públicas de saneamento”, aponta Andrielle Leal.

De acordo com a pesquisadora, foi feita uma avaliação sobre a percepção dos agricultores sobre as questões de saneamento ambiental na área, para discutir se o desenvolvimento alcançado pelas comunidades é realmente sustentável. “Buscamos relacionar o aumento da renda dos agricultores proporcionado pela produção de dendê às melhorias de qualidade de vida das famílias”, destaca.

Alternativas de saneamento sanitário e ambiental para áreas rurais

A pesquisa “Avaliação do Saneamento Ambiental em Comunidades Rurais do Município de Moju, PA”, de Andrielle Leal, foi o Trabalho de Conclusão do Curso de Engenharia Sanitária e Ambiental, da Universidade Federal do Pará, apresentado no último dia primeiro de março. O estudo teve conceito excelente pela banca examinadora e despertou o interesse de outros pesquisadores presentes sobre a importância de alternativas sanitárias para as comunidades da região.

De acordo com a engenheira agrônoma e gerente do Programa Dendê, Thiara Fernandes, outro ponto importante no trabalho é a relevância das alternativas de saneamento sanitário e ambiental, adaptadas ao espaço rural e de custo reduzido. “Temos agora um produto que orienta os moradores locais e a equipe do programa, sobre às alternativas de custo mínimo e impacto ambiental reduzido, para resolver os problemas de saneamento local”, afirma.

, , , , ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: