Oficina aborda comercialização e divulgação de roteiros de ecoturismo comunitário

Formação  em EBC  aborda desde princípios de sustentabilidade ambiental à divulgação dos roteiros

Formação em EBC aborda desde princípios de sustentabilidade ambiental à divulgação dos roteiros

As comunidades tradicionais da Amazônia que iniciam o trabalho de Ecoturismo de Base Comunitária (EBC) fazem um caminho de formação que aborda desde princípios de sustentabilidade ambiental à divulgação dos roteiros. Por isso, as oficinas de capacitação participativa desenvolvidas pelo Instituto Peabiru  em EBC são realizadas em módulos. “É preciso que seja um processo de construção com cada comunidade”, explica a consultora e turismóloga Ana Gabriela Fontoura, especialista em EBC.

Após conhecer os princípios de EBC, descobrir o potencial dos negócios comunitários,  multiplicar ações de consciência socioambiental e construir passeios no local onde vivem, as comunidades tradicionais precisam discutir a comercialização, comunicação e marketing de roteiros de ecoturismo. “Para que a atividade seja uma alternativa de geração de renda para a comunidade, é preciso conhecer a cadeia comercial do turismo e buscar um público”, destaca Fontoura.

Foi este o caminho percorrido pelas comunidades de Almeirim e Monte Alegre, no Oeste do Pará, que participam do projeto Almeirim Sustentável, do Instituto Floresta Tropical (IFT) e Instituto Peabiru, com apoio do Fundo Vale. Em março, essas comunidades fizeram o último módulo da capacitação, voltada para a inserção dos roteiros construídos por eles no mercado do turismo.

Além disso, a iniciativa pretende formar jovens, mulheres e lideranças comunitárias para atuar em EBC, valorizar as capacidades humanas, a partir da construção coletiva de conhecimentos e fortalecimento da organização comunitária.

Em Monte Alegre, participaram representantes de comunidades rurais do entorno do Parque Estadual de Monte Alegre (PEMA): Ererê, Lages, Santana e Maxirazinho, além de funcionários da Secretaria do Estado de Meio Ambiente (Sema), que faz a gestão da unidade conservação famosa por suas pinturas rupestres. Em Almeirim, reuniram-se cinco comunidades tradicionais do Rio Amazonas e Rio Paru: Bota Fogo, Nova Arumanduba, Lago Branco, Praia  Verde e Cafezal.

A convite do Instituto Peabiru, o repórter fotográfico Adriano Gambarini acompanhou a expedição para produzir matérias para a revista Terra da Gente do mês de junho.

, , , , , , , , ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: