Valor Econômico destaca projetos de valorização dos produtos da floresta

Por Instituto Peabiru
Publicado em 14/12/2021
As abelhas nativas da Amazônia são as principais polinizadoras das árvores frutíferas da região, entre elas o açaí (Foto: Rafael Araújo)

As abelhas nativas da Amazônia são as principais polinizadoras das árvores frutíferas da região, entre elas o açaí (Foto: Rafael Araújo)

O extrativismo de castanha e a produção de mel de abelhas sem ferrão da Amazônia, a meliponicultura, foram destaque em matérias do jornal Valor Econômico, de circulação nacional, da edição do último dia 26 de junho. O principal jornal de economia do pais mostrou a iniciativa do Projeto Almeirim Sustentável, do Instituto Floresta Tropical (IFT) e Instituto Peabiru, com apoio do Fundo Vale, como ação que contribui para conservação da floresta em pé.

“A ideia é encontrar os gargalos das cadeias produtivas florestais, contribuir para que essas comunidades estabeleçam mercados duradouros e ampliem possibilidade de comércio”, explica em um dos trechos da reportagem Richardson Ferreira Frazão, coordenador do Programa Casa da Virada e do Programa de Abelhas Nativas e Populações Tradicionais do Instituto Peabiru.

Nos links abaixo você pode ter acesso a reportagem na íntegra.

Valorizar produtos para salvar a floresta

Produção requer novas soluções

Meliponicultura ajuda a fixar carbono

***
Inscrever-se
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários