Projeto finaliza estudos que contribuem para conservação do Salgado Paraense

Orla de Curuçá, município é cercado por manguezais da Resex Mãe Grande

Orla de Curuçá, município é cercado por manguezais da Resex Mãe Grande (Foto: Rafael Araújo)

Pesquisadores do Instituto Peabiru, Museu Paraense Emílio Goeldi e o Núcleo de Meio Ambiente da Universidade Federal do Pará (NUMA/UFPA) apresentam nesta terça-feira, 17, em Belém, os resultados das pesquisas científicas do Projeto Casa da Virada, realizado  pela ONG no município de Curuçá. Os estudos feitos a partir de 2010 sobre tartarugas marinhas, insetos, arqueologia e vegetação devem apoiar planos de manejo e outras ações de conservação da região do Salgado Paraense, uma das regiões com alto índice de desmatamento. O seminário científico começa às 9h no Auditório do Ministério Público Federal (MPF).

Desde 2007, o Instituto Peabiru atua no município, onde se encontram 20 mil hectares de mangue protegidos pela Reserva Extrativista Marinha Mãe Grande Curuçá. Entre os resultados mais importantes está o diagnóstico sobre a Mata Amazônica Atlântica, rara floresta em elevado estado de conservação localizada na Ilha de Ipomonga, nos arredores da Resex, em área muito próxima ao Oceano Atlântico.

A mata de 150 hectares pode ser um dos últimos remanescentes das florestas de terra firme da Amazônia, que antes formava toda a cobertura vegetal do litoral paraense, hoje com vegetação secundária predominante. Foram identificadas na mata 115 espécies vegetais, entre elas a castanheira (Bertholetia excelsa) e a araracanga (Aspidosperma desmanthum), que constam na lista de espécies ameaçadas da Secretaria Estadual de Meio Ambiente do Pará (Sema).

A comunidade local, como pescadores, catadores de caranguejo e marisqueiras, participam das atividades do projeto e contribuem com as pesquisas, como no monitoramento das espécies de tartarugas marinhas ameaçadas. No período de fevereiro a junho deste ano, mais de 80 quelônios foram capturados sem intenção e devolvidas ao mar.

Segundo o coordenador do projeto Casa da Virada, Richardson Frazão, o seminário é importante para tornar público os resultados das pesquisas, que envolveram 28 cientistas. “As pesquisas apoiadas pelo projeto visam gerar conhecimento e construir indicadores que possam ser avaliados com a participação das comunidades”, destaca. O Projeto Casa da Virada é patrocinado pelo Programa Petrobras Ambiental, da Petrobras.

 

Serviço

Seminário científico projeto Casa da Virada, Instituto Peabiru

Data: Amanhã, 17 de setembro de 2013, terça-feira.

Horário:  9h

Local: Auditório do Ministério Público Federal – MPF

Endereço: Rua Domingos Marreiros, 690, Umarizal, Belém/PA.

 

Mais Informações e confirmação de participação:

peabiru@peabiru.org.br

(91) 3222-6000

, , , , , , , ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: