Comunidade discute monitoramento ambiental em Curuçá

Participantes apontam problemas ambientais da comunidade para construção de indicadores de monitoramento

Participantes apontam problemas ambientais da comunidade para construção de indicadores de monitoramento

Identificar problemas e soluções é o primeiro passo para o desenvolvimento sustentável, por isso o Programa Casa da Virada, desenvolvido pelo Instituto Peabiru em Curuçá, no Pará, iniciou com a comunidade local a construção de indicadores ambientais. No último sábado, 17, no município do nordeste paraense, mais de 20 lideranças locais, representantes da sociedade civil, participaram da discussão sobre a proposta de monitoramento ambiental.

Para a professora do Instituto de Estudos Costeiros da Universidade Federal do Pará (Campus Bragança), Moirah Menezes, que coordena o processo de construção dos indicadores, a elaboração de um caderno com perguntas de monitoramento, apontadas pela própria comunidade, facilita a reflexão sobre potencialidades e soluções para os problemas ambientais. “Através das repostas das perguntas será possível quantificar e localizar os problemas, como por exemplo, listar as áreas que não tem serviço de coleta de lixo, identificar as áreas onde ocorrem atividades de desmatamento”, explica.

A construção do caderno com perguntas de monitoramento tem a participação de liderançcas locais

A construção do caderno com perguntas de monitoramento tem a participação de liderançcas locais

A questão do lixo, desmatamento e participação da gestão da Reserva Extrativista Mãe Grande Curuçá, no entorno da qual o município está localizado, são algumas das questões levantadas pelas lideranças locais. A partir deste trabalho de construção, é formatado um caderno com as perguntas de monitoramento, que poderão ser aplicadas pelos próprios comunitários, pescadores, caranguejeiros e marisqueiras. “A comunidade apontou os problemas ambientais do município e nós os agrupamos e identificamos os melhores indicadores para monitorá-los e quantifica-los”, afirma Moirah Menezes.

Todos os indicadores estão relacionados ao bem-estar social e conservação ambiental na comunidade. O exercício de reflexão sobre a própria realidade é o sentido da criação e aplicação dos indicadores, ou seja, identificar problemas e potencialidades.  Para a engenheira florestal Paula Vanessa, assistente do Projeto Casa da Virada, patrocinado pelo Programa Petrobras Ambiental, da Petrobras, o monitoramento ambiental por meio de indicadores pode subsidiar documentos para cobrar políticas públicas e contribuir para mudanças de hábito familiares e pessoais. “É possível discutir soluções com o poder público , ao mesmo tempo que se olha para costumes do dia a dia, como queimar lixo ou não destiná-lo de maneira correta”, destaca.

, , , , ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: