Uso de lanternas com energia solar facilita o dia a dia de pescadores do Rio Canaticu

Por Instituto Peabiru
Publicado em 14/12/2021
Utilização de lanternas que utilizam energia solar durante o jantar

Utilização de lanternas que utilizam energia solar durante o jantar

Logo após às nove horas da noite, Seu Miguel Baratinha se dirige para desligar o motor a diesel, que fornece energia elétrica para sua casa, às margens do Rio Canaticu, no município de Curralinho, no Marajó, Pará. Ali, não há fornecimento de energia elétrica através do sistema interligado, que atende a zona urbana do município. E o alto custo do combustível impede que pessoas como o Seu Miguel utilizem o gerador por mais tempo.

Seu Miguel, à esquerda, diz que lanternas ajudam nas tarefas do dia a dia.

Seu Miguel, de camisa verde, diz que lanternas ajudam nas tarefas do dia a dia.

Para não ficar no escuro, Seu Miguel utiliza uma lanterna alimentada por bateria que é carregada diariamente com o uso da energia solar. Ele outras 30 famílias de pescadores da região receberam a doação dos equipamentos no mês de fevereiro pelo Instituto Peabiru. A utilização das lanternas serve para os afazeres mais simples, como iluminar uma roda de conversa, o jantar, o banho e até mesmo uma caminhada da casa até o barco. “Estas lanternas facilitam bastante nossa rotina, não só quando desligamos o motor, mas quando acordamos, quando ainda está escuro”, relata Seu Miguel.

A doação das lanternas é parte da plataforma global de comunicação “isso é positivenergy” da companhia Energizer, que utiliza as lanternas solares de LED para beneficiar comunidades rurais dos estados do Pará e Amapá. A Energizer é líder mundial em pilhas e baterias de alta tecnologia.

Em parceria com a organização IDEAAS (Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas e da Auto Sustentabilidade), a Energizer doou mais de 500 mil horas em iluminação solar por meio de lâmpadas e lamparinas de LED. Estas foram distribuídas pelo Instituto Peabiru não apenas para o Rio Canaticu, em Curralinho, como a outras comunidades sem acesso a energia, como para a Ilha de Cotijuba, em Belém e para aldeias da Terra Indígena do Oiapoque, no Amapá.

Segundo levantamento feito pelo Instituto Peabiru, boa parte das famílias da área rural na região, gasta cerca de R$ 200,00 (duzentos reais) mensais na compra de óleo diesel para o funcionamento de geradores, e para obter energia por apenas quatro horas por dia.

“Com essa doação feita pela Energizer, já podemos elaborar indicadores que comprovem o impacto que a falta de energia elétrica causa no orçamento familiar de quem vive nestas comunidades. Para mais de 2 milhões de habitante do meio rural da Amazônia sem acesso à rede de eletricidade, a insegurança energética é a uma de suas maiores prioridades, ao lado de acesso a água potável e transporte”, explica João Meirelles, diretor geral do Instituto Peabiru.

Sobre o Grupo Energizer:
O Grupo Energizer é uma companhia americana fabricante de bens de consumo nos âmbitos doméstico e de cuidados pessoais. No Brasil, a empresa comercializa produtos das marcas Energizer®, Eveready®, Schick® e Banana Boat®, que são sinônimo de alta tecnologia, qualidade e atendem a milhões de consumidores. A Energizer é líder mundial em pilhas, que fornecem uma performance confiável para uso em aparelhos eletrônicos; Eveready é uma marca com mais de 100 anos, especialista em pilhas alcalinas; Schick comercializa diferentes tipos lâminas para barbear, que trazem conforto à pele do rosto; Banana Boat foi criada em 1978 na Flórida, Estados Unidos, e está presente no Brasil há mais de dez anos com sua extensa linha de proteção solar. O Grupo Energizer tem como premissa trazer produtos para atender a família brasileira, que prioriza por itens com preços competitivos, mas sem abrir mão da alta qualidade e tecnologia.

***
Inscrever-se
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários