Projeto Marajó Viva Pesca publica banco de dados e SIG

201407_mapa_rio_canaticu_comunidades_congregacoes_total

Mapa de comunidades e congregações ao longo do Rio Canaticu, em Curralinho (Marajó-PA). Estes e outros documentos estão disponíveis no Sistema de Informações Georreferenciadas do projeto Marajó Viva Pesca.

Ao longo de dois anos de execução, o projeto Marajó Viva Pesca trabalhou para a recuperação e conservação dos recursos pesqueiros do Rio Canaticu, em Curralinho, município localizado no Marajó. Uma das ferramentas para tentar se chegar a este objetivo foi a elaboração e implementação de acordos de pesca (veja aqui como foi o processo). No entanto, era preciso levantar dados de pesquisas que fossem capazes de criar um marco científico sobre o atual estado do estoque pesqueiro da região, ou seja, que validasse o que os próprios pescadores estavam relatando. Em parceria com a Universidade Federal do Pará, foram realizadas diversas expedições ao Rio Canaticu para realizar coleta, identificar e contabilizar quais espécies eram pescadas.

As informações levantadas então foram compiladas em um banco de dados que pode ser acessado através do hotsite do projeto Marajó Viva Pesca, ou clicando aqui. Os pesquisadores foram liderados pelos casal professores Igor e Patrícia Shneider, que juntamente com bolsistas do curso de biologia, obtiveram informações que possibilitam a construção de um mapa fiel sobre a situação do pescado do Rio Canaticu.

“É de extrema importância termos estas informações em mãos, pois a partir delas é possível saber, por exemplo, se os tamanhos dos indivíduos capturados estão de acordo com o padrão da espécie e quais espécies compõem o cardápio dos pescadores. Por fim, lança luz sobre uma lacuna para os rios da Amazônia, pois ampliam o conhecimento sobre a fauna aquática da região”, comenta Manoel Potiguar, gerente de projetos do Instituto Peabiru. “Todos os resultados podem ser acessados por qualquer pesquisador, contribuindo assim para que o conhecimento sobre a grande diversidade da fauna aquática amazônica saia do limbo”, complementa Manoel.

SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEORREFERENCIADAS

Além do banco de dados a respeito do estoque pesqueiro do Rio Canaticu, o projeto Marajó Viva Pesca também disponibilizou um Sistema de Informações Georreferenciadas – SIG (clique aqui para acessar).

No SIG é possível realizar o download em alta definição de mapas do Rio Canaticu, com a marcação de localidades, rios e furos da região; shapes para a construção de outros mapas; e tabelas com os pontos de GPS de comunidades, congregações e locais de referência do Rio Canaticu.

O projeto Marajó Viva Pesca é realizado pelo Instituto Peabiru com patrocínio da Petrobras, através do Programa Petrobras Socioambiental, e do Governo Federal.

, , , , , , , , ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: