Instituto Peabiru torna-se signatário de declaração resultante da Conferência Brasileira de Mudança do Clima

Declaração do Recife (2019) tem mais de 33 entidades signatárias, entre poder público, terceiro setor e iniciativa privada, e estabelecerá processos e prazos de acompanhamento dos compromissos ao longo de 2020

A Conferência Brasileira de Mudança do Clima, que aconteceu entre os dias 6 e 8 de novembro, em Recife (PE), reuniu organizações não governamentais, movimentos sociais, governos, comunidade científica e o setor privado brasileiro para diálogos e formulação de propostas para a implementação da NDC brasileira (sigla em inglês para Contribuição Nacionalmente Determinada). O encontro anual é apartidário, de organização coletiva e além da NDC Brasileira, tem por base o Acordo de Paris e a Agenda 2030. A Conferência teve por foco o reforço à posição das empresas e da sociedade civil para a urgência da manutenção do Brasil no Acordo de Paris, implementação da NDC Brasileira, com rigor para o aumento das ambições no que se refere a florestas, transição da energia e tecnologias limpas.

Declaração do Recife

Resultado de um esforço coletivo entre atores da sociedade brasileira que adotaram como princípios a ação, a diversidade e a ambição, a Declaração do Recife marca o início de um movimento permanente que agrega diversos setores da sociedade e que tem por marco a Conferência Brasileira de Mudança do Clima (CBMC). Entre os setores que já subscreveram a Declaração estão empresas, organizações da sociedade civil, academia e poder público. Ao assinar a Declaração as organizações são estimuladas a publicarem seus compromissos específicos e estabelecerem canal público e efetivo para o relato das contribuições e dos avanços ao longo do tempo para a sociedade. Como forma de garantir o comprometimento efetivo das organizações signatárias, a CBMC prevê estabelecimento de processos e prazos de acompanhamento dos compromissos ao longo de 2020.

Conferência Brasileira de Mudança no Clima, Recife, novembro de 2019.
Foto: Instituto Ethos/Divulgação.


Entre os compromissos das organizações da sociedade civil signatárias estão o monitoramento de ações de empresas e governos e o estabelecimento de parcerias e mecanismos de intercâmbio de soluções entre organizações para otimizar as ações de enfrentamento à crise climática. Além do fortalecimento de ações para quantificar os benefícios dos serviços ecossistêmicos para a manutenção da produtividade agrícola e florestal e a manutenção contínua e crescente das atividades produtivas industriais e comerciais.

Através de seus 4 eixos de atuação, o Instituto Peabiru reafirma seu compromisso com as agendas de fortalecimento da organização social e da valorização da sociobiodiversidade na Amazônia, temas essenciais à manutenção das florestas e ao combate às mudanças climáticas.

Leia a Declaração de Recife (2019) na íntegra clicando aqui.

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: