Situação da Ilha de Cotijuba na pandemia do Coronavirus preocupa organizações locais

O Instituto Peabiru atua há mais de uma década na Ilha de Cotijuba em parceria com organizações sociais locais

Praia do Vai quem quer na Ilha de Cotijuba, importante destino turístico na região insular de Belém.


Os territórios amazônicos têm enfrentado grandes dificuldades no combate ao Coronavirus, especialmente derivadas da precariedade na infraestrutura pública de serviços de saúde. Na região insular de Belém, a Ilha de Cotijuba é uma das localidades que já encara desafios ligados aos desdobramentos sociais e econômicos da pandemia. O Instituto Peabiru atua em Cotijuba através de atividades no território Belém Ribeirinha, apoiando o fortalecimento das capacidades humanas locais e em ações de valorização da sociobiodiversidade, juntamente com as organizações sociais da ilha.

A Ilha de Cotijuba é um importante destino turístico, distante 40 minutos da capital paraense, com acesso por barco partindo do distrito belenense de Icoaraci. Por ter parte significativa da sua renda vinculada ao turismo, a localidade tem sofrido forte impacto econômico com as medidas de isolamento social. As atividades ligadas ao turismo, como bares, restaurantes e pousadas estão sendo impactadas de forma mais acentuada na retração econômica que se apresenta em função da pandemia. De acordo com Adriana Lima, moradora da Ilha e integrante do Movimento de Mulheres das Ilhas de Belém (MMIB), grande parte desses estabelecimentos se mantém fechado desde o dia 16 de março, juntamente com as escolas locais.

O Movimento das Mulheres das Ilhas de Belém é uma associação sem fins lucrativos, que atua desde 2001 nos temas de gênero e direito das mulheres, bem como nas questões ligadas ao meio ambiente e ao desenvolvimento social da Ilha de Cotijuba e das ilhas do entorno (Jutuba, Paquetá, Ilha Nova e Urubuoca). O MMIB atua como organização comunitária, congregando mulheres, homens e jovens, em busca de melhorias na qualidade de vida para os moradores da Ilha. Desde 2006, o MMIB e o Instituto Peabiru realizam iniciativas em conjunto. (Acesse ações do Instituto Peabiru na Ilha de Cotijuba aqui).

Instituto Peabiru é parceiro do Movimento das Mulheres das Ilhas de Belém desde 2006.


Com a pandemia, além das atividades de turismo, outras áreas também estão sendo afetadas. As atividades de agricultura foram reduzidas em função da queda da demanda. Sem essa fonte de renda, há grande procura entre os moradores de Cotijuba pelo Auxílio Emergencial Básico, disponibilizado pelo Governo Federal. Além do auxílio federal, algumas medidas têm sido direcionadas à comunidade local. As escolas da rede municipal e estadual estão distribuindo kits de merenda aos estudantes. A distribuição vem ocorrendo na Ilha de Cotijuba e em ilhas próximas de forma organizadas e sem aglomerações.

Dentro de Cotijuba há acesso a produtos básicos de alimentação, higiene e medicamentos, o que reduz a necessidade de sair da ilha para compra de itens básicos. Além disso, bens cultivados e produzidos localmente estão sendo comercializados utilizando grupos de Whatsapp para comunicação.  

Capacidade dos serviços de saúde preocupa moradores da ilha

A maior dificuldade atualmente enfrentada está ligada aos serviços de saúde. O acesso aos serviços públicos está reduzido, uma vez que atendimentos básicos, como consulta de Médicos da Família, foram suspensos. O serviço de ambulância e a Unidade Básica de Saúde (UBS) estão funcionando, mas sem equipamentos especiais para proteção e tratamento de casos de Covid-19. Ainda de acordo com Adriana Lima, apesar de nenhum caso confirmado, a ilha já tem casos suspeitos, que têm sido acompanhados com os pacientes cumprindo o isolamento domiciliar. Já o nível de isolamento da população da ilha ainda é baixo. Apesar do grande uso de máscaras, ainda há famílias indo à Cotijuba para passeio, inclusive, buscando vagas nas pousadas locais. O acesso hidroviário à Ilha de Cotijuba está limitado apenas nos feriados e não há cobrança de comprovante de residência, o que dificulta o controle do fluxo de pessoas externas na Ilha. A falta de fiscalização sobre a circulação de pessoas deixa os moradores apreensivos quanto aos riscos de contaminação.

O acesso a hospitais, em caso de necessidade de internação em função de Covid-19, também preocupa. “Nos últimos dias tivemos um morador que ficou quase 48 horas no posto de saúde aguardando leito para transferência, essa demora nos faz pensar que caso ocorram casos de Covid-19 na ilha, tudo ficará tão difícil quanto estamos vendo no continente. Não temos nenhum plano de transferência, nem para doentes, nem para vítimas fatais, para que possamos nos tranquilizar um pouco”. afirma Adriana, do MMIB.


Saiba como ajudar

Doações para confecção de máscaras por costureiras locais e distribuição de itens de higiene podem ser direcionadas para a conta do MMIB.

Banco do Brasil
Ag 11835
CC 17 477-7
CNPJ 05.963.876.0001-57
MMIB – Movimento de Mulheres das Ilhas de Belém


Contatos diretos com a organização podem ser feitos pelo email mmibcotijuba17@gmail.com e pelo Whatsapp +55 91 9321-9719 (número disponível somente para mensagens).

, , , ,

One Comment em “Situação da Ilha de Cotijuba na pandemia do Coronavirus preocupa organizações locais”

  1. Flávio cunha
    maio 7, 2020 às 7:15 pm #

    Força cotijuba, força!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: